Metodologia para o teste de tetrazólio em sementes de feijão-caupi

  • Glauce Portela de Oliveira Universidade Federal de Mato Grosso. Rondonópolis, Mato Grosso, Brasil.
  • Elisangela Clarete Camili Universidade Federal de Mato Grosso, Faculdade de Agronomia e Zootecnia (FAAZ/UFMT), Departamento de Fitotecnia e Fitossanidade. Cuiabá, Mato Grosso, Brasil.
  • Otoniel Magalhães Morais Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, Departamento de Fitotecnia e Zootecnia (DFZ/UESB). Vitória da Conquista, Bahia, Brasil.

Resumen

O objetivo foi determinar o método de coloração, quanto ao tempo e concentração da solução, mais eficiente para avaliação da qualidade fisiológica de sementes de feijão-caupi (V. unguiculata) pelo teste de tetrazólio. Foram avaliados dois lotes de sementes de duas cultivares de feijão-caupi, BRS Guariba e BRS Novaera. O teste de tetrazólio foi realizado para sementes de cada lote e cultivar, as quais foram submetidas à solução de tetrazólio nas concentrações de 0,075%, 0,25% e 0,5% por 3 e 4 h, em incubadora tipo BOD a 35°C, na ausência de luz. As sementes foram avaliadas quanto à uniformidade e intensidade da coloração apresentadas pelos tecidos, sendo classificadas em: coloração fraca, coloração adequada ou coloração forte. Para avaliar a eficiência do teste de tetrazólio, as sementes das duas cultivares e os respectivos lotes foram submetidos aos testes de germinação e vigor. As médias observadas nos testes foram comparadas pelo teste de Tukey (p<0,05) e calculados os coeficientes de correlação simples de Pearson (r). Observou-se que o teste de tetrazólio é eficiente para a classificação do vigor de sementes de feijão-caupi e posterior imersão em solução de tetrazólio na concentração de 0,075%, por um período de 4 h a 35ºC.

Citas

Bento, SRSO; Santos, AEO; Melo, DRM; Torres, SB. 2010. Eficiência dos testes de vigor na avaliação da qualidade fisiológica de sementes de mulungu (Erythrina Velutina Willd.). Revista Brasileira de Sementes. 32 (4): 111-117.

Bhering, MC; Dias, DCFS; Barros, DI. 2005. Adequação da metodologia do teste de tetrazólio para avaliação da qualidade fisiológica de sementes de melancia. Revista Brasileira de sementes. 27 (1): 176-182.

Brasil. 2009. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Regras para análise de sementes. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Secretaria de Defesa Agropecuária. Brasília, DF. MAPA/ACS. V II, 395p.

Corte, VB; Lima e Borges, EE; Pereira, BL. 2010. Avaliação da metodologia do teste de tetrazólio para avaliação da viabilidade de sementes de Melanoxylon brauna Schot. Cerne. 16 (3): 415-421.

Costa, CJ; Santos, CP. 2010. Teste de tetrazólio em sementes de leucena. Revista Brasileira de Sementes. 32 (2): 66-72.

Cripa, FB; Freitas, LCN; Grings, AC; Bortolini, MF. 2014. Tetrazolium test for viability estimation of Eugenia involucrate and Eugenia pyriformis Cambess seeds. Journal Seed Science. 36 (3): 305-311.

Dutra, AS; Medeiros Filho, S; Teófilo, EM. 2006. Condutividade elétrica em sementes de feijão caupi. Revista Ciência Agronômica. 37 (2): 166-170.

Dutra, AS; Teófilo, EM. 2007. Envelhecimento acelerado para avaliar o vigor de sementes de feijão caupi. Revista Brasileira de Sementes. 29 (1): 193-197.

Embrapa Meio Norte. 2014. Características comerciais projetam feijão-caupi internacionalmente. Acesso em: 14 nov. 2014. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-noticias/-/noticia/2006738/feijao-caupi-conquista-mercado-internacional

França Neto, JB; Krzyzanowski, FC; Costa, NP. 1998. O teste de tetrazólio em sementes de soja. Londrina, PR, EMBRAPA- CNPSo. 72p.

Freire Filho, FR; Lima, JAA; Ribeiro, VQ. 2005. Feijão-caupi: avanços tecnológicos. 1a ed. Brasília, DF, Embrapa Informação Tecnológica. 519p.

Gaspar-Oliveira, CM; Martins, CC; Nakagawa, J. 2011. Pré-condicionamento das sementes de mamoneira para o teste de tetrazólio. Acta Scientiarum. 33 (2): 303-311.

Gimenez, JI; Ferreira, G; Cavariani, C. 2014. Tetrazolium test for assessment of seed viability of atemoya (Annona cherimola Mill. x A. squamosa L.). Journal Seed Science. 36 (3): 357-361.

Kaiser, DK; Freitas, LCN; Biron, RP; Simonato, SC; Bortolini, MF. 2014. Adjustment of the methodology of the tetrazolium test for estimating viability of Eugenia uniflora L. seeds during storage. Journal Seed Science. 36 (3): 344-351.

Krzyzanowski, FC; França Neto, JB; Henning, AA. 1991. Relato dos testes de vigor disponíveis para as grandes culturas. Informativo ABRATES. 1 (2): 15-59.

Marcos Filho, J; Novembre, ADC; Chamma, HMCP. 2001. Testes de envelhecimento acelerado e de deterioração controlada para avaliação do vigor de sementes de soja. Scientia Agricola. 58 (2): 421-426.

Nakagawa, J. 1999. Vigor em sementes: conceitos e testes: Testes de vigor baseados na avaliação das plântulas. 1a ed. Londrina, PR, ABRATES. 164 p.
Pinto, TLF; Brancalion, PHS; Novembre, ADLC; CICERO, SM. 2008. Avaliação da viabilidade de sementes de coração-de-negro (poecilanthe parviflora benth. - fabaceae-faboideae) pelo teste de tetrazólio. Revista Brasileira de Sementes. 30 (1): 208-214.

Schuab, SRP; Braccini, AL; França Neto, JB; Scapim, CA; Meschede, DK. 2006. Potencial fisiológico de sementes de soja e sua relação com a emergência das plântulas em campo. Acta Scientiarum Agronomy. 28 (4): 553-561.

Vieira, RD; Carvalho, NM; Sader, R. 1994. Teste de vigor em sementes: Teste de vigor e suas possibilidades de uso. 2a ed. Jaboticabal, PR, FUNEP/UNESP. 164 p.
Publicado
2019-01-23
Cómo Citar
OLIVEIRA, Glauce Portela de; CLARETE CAMILI, Elisangela; MAGALHÃES MORAIS, Otoniel. Metodologia para o teste de tetrazólio em sementes de feijão-caupi. Investigación Agraria, [S.l.], v. 20, n. 2, p. 110-117, ene. 2019. ISSN 2305-0683. Disponible en: <http://www.agr.una.py/revista/index.php/ria/article/view/514>. Fecha de acceso: 26 jun. 2019
Sección
ARTÍCULOS CIENTÍFICOS