Diversidade e fitossociologia de fragmentos de floresta com Araucária em pequenas propriedades rurais no Estado do Paraná – Brasil

  • Emilio Carlos Zilli Ruiz Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Irati, PR, Brasil.
  • Carla Fernanda Mussio Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Irati, PR, Brasil.
  • Milayne Lopes Rickli Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Irati, PR, Brasil.
  • Carlos Henrique Boscardin Nauiack Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Irati, PR, Brasil.
  • Afonso Figueiredo Filho Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO). Irati, PR, Brasil.

Resumen

O objetivo desta pesquisa foi analisar as características florísticas de seis fragmentos de Floresta Ombrófila Mista situados em pequenas propriedades rurais localizadas em Fernandes Pinheiro e compará-los em relação à diversidade alfa e beta. Utilizaram-se 26 parcelas de 2.000 m² divididas em 130 subparcelas de 400 m² distribuídas em seis pequenos fragmentos florestais. Os parâmetros fitossociológicos e índices de Shannon, Simpson e Pielou de cada fragmento, além do Coeficiente de Jaccard para formação de grupos a 50% de similaridade foram determinados. Os índices de Shannon dos fragmentos foram avaliados um a um pelo Teste de Hutcheson. No total, foram registradas 103 espécies de 69 gêneros e 35 famílias, sendo as famílias mais abundantes, Myrtaceae e Lauraceae. Dos seis fragmentos analisados, a Araucária não foi a principal espécie apenas no Fragmento 6, o mais descaracterizado. O Fragmento 3, mesmo sendo o menor, apresentou os melhores resultados para biodiversidade (S = 64 e H’ = 3,390). O Teste de Hutcheson enfatizou que os Fragmentos 3 e 6 diferem dos demais, da mesma forma, o coeficiente de Jaccard também evidenciou menor similaridade florística entre esses dois fragmentos em relação aos demais. Concluiu-se que há elevada heterogeneidade entre pequenos fragmentos florestais próximos, além de evidenciar a disparidade em relação a grandes remanescentes.

Citas

Accioly, P. (2013). Mapeamento dos remanescentes vegetais arbóreos do estado do Paraná e elaboração de um sistema de informações geográficas para fins de análise ambiental do estado. (Tese Doutorado em Engenharia Florestal). Curitiba : Universidade Federal do Paraná, 127 p.
Couto, H.T.Z. (2005). Métodos de inventário da biodiversidade de espécies arbóreas: Relatório Final de Projeto temático. Piracicaba: ESALQ/ FAPESP – Programa Biota, 112p.
Dalmaso, C.A., Inoue, M.T., Oliveira Filho, P.C. e Marcelino V.R. (2013). Padrões espaciais na regeneração de Ocotea odorífera na Floresta Nacional de Irati, PR. Floresta, 43(2), 301-312.
Durigan, G. (2009). Estrutura e Diversidade de Comunidades Florestais. In: MARTINS, S. V. (Ed.). Ecologia de florestas tropicais do Brasil. Viçosa: Editora UFV, Universidade Federal de Viçosa, 261 p.
Gomes, M.S. (2018). Dinâmica e estratégias para a projeção da estrutura diamétrica em Floresta Ombrófila Mista no planalto Norte Catarinense. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais). Irati : Universidade Estadual do Centro-Oeste, 89p.
Gomide, L.R., Scolforo, J.R.S. e Oliveira, A.D. de. (2006). Análise da diversidade e similaridade de fragmentos florestais nativos na bacia do rio São Francisco, em Minas Gerais. Ciência Florestal, 16 (2), 127-144.
Higuchi, P., Silva, A.C., Ferreira, T.S., Souza Ferreira, T. de, Gomes, J.P., Da Silva, K.M., ...Paulino, P.S. (2015). Influência de variáveis ambientais sobre o padrão estrutural e florístico do component arbóreo em um fragment de Floresta Ombrófila Mista Montana em Lages, SC. Ciência Florestal, 22 (1), 79-90.
Hutcheson, K. (1970). A test for comparing diversities based on the Shannon formula. Journal of Theoretical Biology, 29(1), 151-154.
IPNI. The International Plant Names Index. (2018). Plant names. Disponível em: . Acesso em: 10 de julho de 2018.
Kanieski, M.Q., Araújo, A. C. B. e Longhi, S. J. (2010). Quantificação da diversidade em Floresta Ombrófila Mista por meio de diferentes Índices Alfa. Scientia Forestalis, 38 (88), 567-577.
Klauberg, C., Paludo, G.F., Bostoluzzi, R.L.C. e Mantovani, A. (2010). Florística e estrutura de um fragmento de Floresta Ombrófila Mista no Planalto Catarinense. Biotemas, 23 (1), 35-47.
Lazzarin, L.C., Silva, A.C., Higuchi, P., Souza, K., Perin, E. e Cruz, A.P. (2015). Invasão biológica por Hovenia dulcis Thunb. em fragmentos florestais na região do Alto Uruguai, Brasil. Árvore, 39(6), 1007-1017.
Manfredi, S., Gomes, J.P., Ferreira, P.I., Bortoluzzi, R.L.C. e Mantovani, A. (2015). Dissimilaridade florística e espécies indicadoras de Floresta Ombrófila Mista e ecótonos no Planalto Sul Catarinense. Floresta, 45 (3), 497-506.
Mazza, C.A. (2006). Caracterização ambiental da paisagem da microrregião colonial de Irati e zoneamento ambiental da Floresta Nacional de Irati, PR. (Tese Doutorado em Ecologia e Recursos Naturais). São Carlos : Universidade Federal de São Carlos, 147p.
Melo, A.S. (2008). O que ganhamos “confundindo” riqueza de espécies e equabilidade em um índice de diversidade? Biota Neotropical, 8 (3), 20-27.
Peet, R.K. (1974). The measurement of species diversity. Annual Review of Ecology and Systematics. 5(1), 285-307.
Reis, A., Tres, D.R. e Scariot, E.C. (2007). Restauração na Floresta Ombrófila Mista através da sucessão natural. Pesquisa Florestal Brasileira, 55, 67-73.
Rode, R., Figueiredo Filho, A., Galvão, F. e Machado, S. A. (2009). Comparação florística entre uma Floresta Ombrófila Mista e uma vegetação arbórea estabelecida sob um povoamento de Araucaria angustifolia de 60 anos. Cerne, 15(1), 101-115.
Roderjan, C.V., Galvão, F., Kuniyoshi, Y.O. e Hatschbach, G. G. (2002). As unidades fitogeográficas do Estado do Paraná. Ciência e Ambiente, 24 (1), 78-118.
Roik, M. (2012). Dinâmica (2002-2011) e modelagem do incremento diamétrico em fragmento de Floresta Ombrófila Mista na Floresta Nacional de Irati, Paraná. Dissertação (Mestrado em Ciências Florestais). Irati: Universidade Estadual do Centro-Oeste, 141p.
Watzlawick, L.F., Albuquerque, J.M. de, Redin, C.G., Longhi, R.V. e Longhi, S.J. (2011). Estrutura, diversidade e distribuição espacial da vegetação arbórea na Floresta Ombrófila Mista em Sistema Faxinal, Rebouças (PR). Ambiência, 7(3), 415-427.
Wrege, M.S., Steinmetz, S., Reisser Junior, C. e Almeida, I.R. (2012). Atlas Climático da Região Sul do Brasil: Estados do Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. 2da. ed. Brasilia: Embrapa, 336p.
Publicado
2019-08-13
Cómo Citar
RUIZ, Emilio Carlos Zilli et al. Diversidade e fitossociologia de fragmentos de floresta com Araucária em pequenas propriedades rurais no Estado do Paraná – Brasil. Investigación Agraria, [S.l.], v. 21, n. 2, p. 81-92, ago. 2019. ISSN 2305-0683. Disponible en: <http://www.agr.una.py/revista/index.php/ria/article/view/593>. Fecha de acceso: 23 oct. 2019
Sección
ARTÍCULOS CIENTÍFICOS